quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

NOTA DE PESAR E CONDOLÊNCIAS


Foi com profunda consternação e pesar que recebemos a notícia do falecimento de Sua Alteza o Senhor D. Henrique João de Bragança (1949-2017), Infante de Portugal e Duque de Coimbra, Cavaleiro Grã-Cruz de Honra e Devoção da Ordem Soberana e Militar de Malta, irmão mais novo de Sua Alteza Real o Senhor D. Duarte Pio de Bragança.
Homem simpático e de bom trato, Cavaleiro e Voluntario consciencioso e activo, enquanto membro da Assembleia dos Cavaleiros Portugueses da Ordem Soberana e Militar de Malta, participou em inúmeras campanhas de apoio aos Peregrinos e auxílio aos mais necessitados.
À família, amigos e confrades, manifestamos os mais sinceros votos de pesar e condolências.

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Novo Grão-Mestre da Ordem de Malta poderá ser eleito no próximo dia 29 de Abril

Villa Magistral da Ordem de Malta
Monte Aventino, Roma
De acordo com a deliberação tomada pelo Soberano Conselho, os cerca de 60 eleitores internacionais serão convocados para reunir em Completo Conselho de Estado da Ordem Soberana e Militar de Malta, no próximo dia 29 de Abril, na Casa do Capítulo da Villa Magistral, no Monte Aventino, em Roma.
De acordo com o disposto no artigo 23.º da Constituição, para eleição do novo Grão-Mestre será necessário o voto da maioria dos eleitores presentes na Conselho electivo. in site da Ordem de Malta

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Dizem que é o "Segredo de Roma". Trata-se da vista que se alcança ao espreitar através da fechadura do portão da sede do Grão-Priorado da Ordem de Malta em Roma, mais precisamente no Monte Aventino. Essa vista tem a particularidade de se estender por três Estados independentes: o da Ordem Soberana e Militar de Malta, o Estado Italiano e o Estado do Vaticano, com a inconfundível cúpula da Basílica de S. Pedro.
Portão do Grão-Priorado, na Plaza Cavalieri di Malta

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Soberano Conselho da Ordem de Malta aceitou a resignação do Grão-Mestre Fra' Matthew Festing

Fra’ Ludwig Hoffmann von Rumerstein
Na Reunião do Soberano Conselho, realizada no passado sábado, dia 28 de Janeiro, foi aceite a resignação de Fra’ Matthew Festing à dignidade de Grão-Mestre da Ordem Soberana e Militar de Malta.
De acordo com o Comunicado de Fra’ Ludwig Hoffmann von Rumerstein, que ocupará a dignidade, interinamente, como Lugar-Tenente, foi manifestada a abertura para trabalhar com o delegado que Sua Santidade o Papa Francisco tenciona nomear, o qual, certamente, ajudará a nutrir e inspirar os aspetos religiosos da Ordem e, possivelmente, questões de reforma que terão de ser abordadas após as próximas eleições.
O Soberano Conselho manifestou gratidão a Sua Santidade por todas as decisões tomadas relativamente à Ordem, com vista a fortalecer a Soberania desta. Mais reiterou que, neste como em todos os demais assuntos, a Ordem não cederá à Sua lealdade para com Sua Santidade o Papa.

Já no exercício des funções, de acordo com o Artigo 17.º § 1 da Constituição, Fra’ Ludwig Hoffmann von Rumerstein, anulou os Decretos que estabeleceram os procedimentos disciplinares contra Albrecht Freiherr von Boeselager e a sua suspensão como membro da Ordem, pelo que este retomará o seu cargo como Grande Chanceller.

A Assembleia dos Cavaleiros Portugueses está sintonizada com esta decisão e demais orientações saídas da reunião do Soberano Conselho, bem como com as decisões já tomadas por Fra' Ludwig Rumerstein, tendo S.E. o Sr. Conde de Albuquerque, Presidente do Conselho Directivo, dirigido uma comunicação aos Membros da Ordem nesse sentido.

O novo Grão-Mestre, de acordo com o disposto na Constituição, será eleito dentro dos próximos três meses, pelo Corpo Eleitoral do Conselho Completo da Ordem, composto por uma representação internacional dos seus Membros, que para esse efeito se reunirá na sede da Ordem, em Roma.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Fra´ Matthew Festing apresentou a resignação à dignidade de Grão-Mestre da Ordem de Malta


Ontem, dia 24 de Janeiro de 2017, na audiência com o Santo Padre, Sua Alteza Eminentíssima Fra' Matthew Festing, apresentou a sua resignação à dignidade de Grão-Mestre da Ordem Soberana e Militar de Malta.
Hoje, dia 25 de Janeiro, o Santo Padre aceitou a resignação, expressando a Fra´Matthew Festing, a apreciação e gratidão pelos sentimentos de lealdade e devoção ao Sucessor de Pedro e a disposição para servir humildemente o bem da Ordem e da Igreja.
A confirmar-se a resignação, o governo da Ordem será assumido interinamente pelo Grão-Comendador, Fra´ Ludwig Hoffmann von Rumerstein.

Ver Comunicado emitido hoje pela Santa Sé.

Entretanto, Fra' Matthew Festing já convocou uma Sessão Extraordinária do Soberano Conselho da Ordem, para o próximo dia 28 do corrente, com vista a formalizar a sua resignação para aceitação.

Ver Comunicado emitido hoje pelo Grão-Magistério.

Este desfecho, por alegada exigência do Santo Padre, tem motivações mais antigas e internas de ambas as instituições, mas foi agora espoletado pela controvérsia entre a Ordem e a Santa Sé, uma vez que aquela se manifestou contrária à nomeação de um grupo pelo Secretário de Estado do Vaticano, com vista a apurar as razões da exoneração e substituição do antigo Grão-Chanceller da Ordem, responsável pelo Malteser International.
No entanto, a Ordem fez questão de sublinhar que a rejeição em colaborar com esse grupo, se prendia com motivos estritamente legais e, portanto, não podia, de forma alguma, ser considerada como uma falta de respeito para com o Grupo, nem para com Sua Eminência o Secretário de Estado.

Ver Nota emitida pelo Grão-Magistério.


Em face da alegada exigência de Sua Santidade o Papa Francisco, Fra' Matthew Festing, que jurou lealdade e devoção ao Santo Padre e à Igreja, viu-se moralmente obrigado a apresentar a resignação à dignidade de Grão-Mestre da Ordem Soberana e Militar de Malta.

domingo, 18 de dezembro de 2016

Cerimónias Natalícias da Assembleia dos Cavaleiros Portugueses da Ordem de Malta

Aspecto do Acto de Promessa dos Cavaleiros em Obdiência
(foto por Dona Maria Antonieta Sanhudo Portocarrero)
Realizaram-se, no passado sábado, dia 17, as Cerimónias de Natal da Assembleia dos Cavaleiros Portugueses da Ordem Soberana e Militar de Malta. Tiveram lugar na sede nacional da Assembleia, na Igreja de Santa Luzia e São Brás, em Lisboa, e foram presididas por S.E.R. o Senhor Bispo de Portalegre-Castelo Branco Dom Antonino Dias, Capelão Grã Cruz Conventual "Ad Honorem" e concelebradas por S.E.R. o Senhor Núncio Apostólico, Dom Rino Passigato.
Durante a Santa Missa decorreu também a Cerimónia de Promessa de Cavaleiros em Obediência dos Confrades Exmo. Senhor Eduardo Rosa de Queiroz e Exmo. Senhor Eng. José Manuel Soeiro do Nascimento Correia Alves.
As Cerimónias culminaram com um Cocktail Dinatoire no Turf Club, no Chiado.



Fotos: Assembleia dos Cavaleiros Portugueses

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

NOTA DE PESAR E CONDOLÊNCIAS


Foi de forma inesperada, com profunda consternação e pesar que recebemos a notícia do falecimento do Exmo. Sr. Prof. Doutor Eng.º Bernardo Manuel Teles de Sousa Pacheco de Carvalho (1959-2016), Cavaleiro de Honra e Devoção da Ordem Soberana e Militar de Malta, Membro da Assembleia dos Cavaleiros Portugueses e actual Assessor do Chanceler.
Homem de bom trato, afável e atencioso, Cavaleiro consciencioso e activo, Bernardo Pacheco de Carvalho, era Membro da Ordem Soberana e Militar de Malta há precisamente 30 anos, tendo sido admitido em 18 de junho de 1986.
À família, amigos e confrades, manifestamos os mais sinceros votos de pesar e condolências.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Falcoaria Portuguesa considerada Património Cultural Imaterial da Humanidade

Foi hoje (01.XII) aprovada a inclusão da Falcoaria Portuguesa na lista do Património Cultural Imaterial da UNESCO.
O impulso para a classificação foi dado pela Câmara Municipal de Salvaterra de Magos, que assim fez com que este património passasse a integrar a lista de 13 países, do Médio Oriente ao Mediterrâneo, cuja respectiva falcoaria já se encontra reconhecida.

Aproveitamos o mote para lembrar a relação histórica da Ordem de Malta com a Falcoaria Nacional e, nomeadamente, com a Falcoaria de Salvaterra de Magos.


A Falcoaria de Salvaterra de Magos remonta aos inícios do século XVII, tendo os primeiros falcões, cujos exemplares chegaram a Lisboa, com destino a Salvaterra, no dia 24 de Junho de 1745, sido oferecidos ao rei D. João V (1706-1750) pelo português e Grão-Mestre da Ordem de Malta Fra' D. Manoel Pinto da Fonseca (1741-1773).
A tradição de oferecer Falcões e até outras espécies exóticas ao Rei de Portugal, no entanto, é mais antiga. D. António Manoel de Vilhena, o mais renomado português que ocupou a Dignidade de Grão-Mestre da Ordem de Malta, por exemplo, uma vez eleito em 19 de Junho de 1722, todos os anos enviou falcões ao Rei de Portugal, alargando assim uma tradição que se mantinha já com os Reis de França e Espanha. Tradição esta, ainda mais antiga, a remontar a 1530, quando Carlos de Habsburgo, Rei de Espanha e Imperador do Sacro Império Romano-Germânico impôs à Ordem dos Cavaleiros Hospitalários de S. João de Jerusalém e de Rodes o denominado Tributo do Falcão Maltês em troca simbólica pela cessão da soberania da Ilha de Malta, mediante o qual a Ordem ficou incumbida de entregar anualmente um falcão treinado para a cetraria ao reino de Espanha. (para saber mais, carregar no link).